Quaresmeira: uma planta de nome cristão, típica da Mata Atlântica

É Quaresma, tempo de Quaresmeiras, as flores do momento.

Após a Quarta-Feira de Cinzas tem início o período da Quaresma cristã e é nessa época que as Quaresmeiras mostram sua beleza com exuberante e intensa florada, cujos tons variam do rosa pálido ao roxo intenso, como que imitando os tons do interior das igrejas.

A Tibouchina granulosa, conhecida como Quaresmeira ou Flor-de-quaresma, pertence à família Melastomataceae e é uma planta natural da Mata Atlântica, desenvolvendo-se bem em climas tropical, subtropical e equatorial, principalmente entre a Bahia e São Paulo. É cultivada também em outras regiões de clima tropical e subtropical da América do Sul, com registros de cultivo no sul dos Estados Unidos, ilhas do Havaí e China.

Sua família reúne mais de trinta espécies, porém em nosso meio a Tibouchina granulosa é a mais encontrada, seguida pela também conhecida Manacá da Serra (Tibouchina mutabilis).

Muito apreciada por sua beleza, é uma espécie que pode ser utilizada para arborização urbana e projetos de paisagismo. É ótima também para plantar em jardins e ruas estreitas e sob redes elétricas e mesmo quando não está florida, a árvore é bastante ornamental.

A origem de seu nome popular, quaresmeira, se deve ao período de floração, que normalmente ocorre entre o carnaval e a páscoa, ou seja, na quaresma cristã, a maior festa do cristianismo. A tonalidade de suas flores, variando em torno da cor roxa (púrpura), remete à Paixão de Cristo e à tradição de vestimentas da Igreja Católica e outras igrejas cristãs nesse período.

O simbolismo dessa opcional tradição de cobrir as imagens sacras remete ao estímulo dos fiéis à reflexão e à renovação espiritual ao contemplar os objetos sagrados cobertos de roxo.

Como é essa árvore? Características botânicas

A Quaresmeira é uma árvore de porte pequeno a médio, copa arredondada e densa, atingindo uma altura de 8 a mais de 12 metros, com estimativa de vida de 60 a 70 anos. O tronco é simples ou múltiplo, com 30 a 40 cm de diâmetro.

As folhas são de coloração verde escuro, simples e ovaladas. São relativamente rústicas e rígidas, têm nervuras longitudinais bem destacadas e são cobertas por discreta penugem em ambas as faces. A folhagem é perene, o que faz com que, mesmo fora da floração, a árvore se mantenha vistosa.

A floração é exuberante e ocorre duas vezes por ano, de fevereiro a abril e de agosto a outubro, mas na primavera é mais intensa. As flores possuem cinco pétalas iguais e coloração intensamente roxa ou rosada e estão agrupadas em cachos afunilados.

As flores das Quaresmeiras têm o centro branco com numerosos estames alongados e retorcidos. Diferentemente da maioria das flores, elas não têm néctar, oferecendo seu pólen aos insetos, que depois que as visitam deixam seu centro avermelhado.

A Quaresmeira rosa foi conseguida através de mutações.

Os frutos são pequenos e de cor marrom, com inúmeras sementes que são dispersas pelo vento.

Seu ponto frágil são os ramos, que podem se quebrar facilmente com ventos fortes.

Um detalhe florido que recorda a religiosidade de alguns, mas que agrada os olhos de todos e anuncia a Páscoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *