Planetário do Ibirapuera – Dicas de visitação 2016

O Planetário Aristóteles Orsini, o Planetário do Ibirapuera, foi reinaugurado no dia do aniversário de São Paulo, 25 de janeiro de 2016. Permaneceu durante três anos em reformas profundas tais como adequação do ar condicionado, reforma da parte elétrica e da complexa hidráulica, além de manutenção da estrutura como pisos e cúpula.

Seu projetor StarMaster é da empresa Carl Zeiss e seu modelo “planetário” é o verdadeiro responsável pelo nome Planetário. Com 9 mil fibras ópticas e 42 conjuntos de lentes permite a visualização do céu de qualquer parte do mundo no momento, passado ou futuro, bastando programá-lo para isso.

Inaugurado em 26 de janeiro de 1957, foi o primeiro planetário da América Latina, sendo que o prédio é tombado pelo Conselho Municipal de Tombamento e Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp) e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat).

A curiosidade sobre o universo e a magia que o céu exerce sobre pessoas de qualquer faixa etária, associadas às caras memórias das antigas exibições além da extensa divulgação sobre a reabertura do Planetário, fizeram com que uma multidão se concentrasse diante de sua entrada para conferir a “novidade” da cidade.

Como no momento deste post estamos a quatro dias do evento inaugural, algumas dicas para a visitação podem evitar uma ida frustrada ao Planetário, uma vez que a busca por suas sessões promete ser intensa por bom tempo.

1. Localização do Planetário

Fica dentro do Parque do Ibirapuera, zona sul de São Paulo, na Avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº

2. Como chegar ao Planetário

Se você estiver a pé o melhor acesso é pelo Portão 10. Se estiver de automóvel entre pelo Portão 3 para alcançar a área com estacionamento ao lado da Marquise. Outra opção de estacionamento, discretamente mais distante é a entrada pelo Portão 7A, na Avenida República do Líbano, ao lado do Viveiro Manequinho Lopes.

Cada folha de zona azul tem duração de 2 horas dentro do Parque e há guarita nos locais de estacionamento com funcionamento durante todo o horário em que é necessário utilizar o talão de zona azul. Também há muita fiscalização. Não descuide.

3. Horário das sessões

Durante os meses considerados de férias, Janeiro, Fevereiro, Julho e Dezembro, o planetário terá quatro sessões diárias (10h/12h/15h/17h), de terça a domingo e feriados.

Nos demais meses as sessões serão apenas aos finais de semana e feriados. Atenção, agora é um bom momento para visitar devido à variedade de dias e horários. Não perca.

Sessões para escolas ocorrerão a partir de março, sob agendamento e apenas durante a semana.

Contato: 11 5575-5206 ramal 5 ou 5575-5425

4. A dica mais importante: com que antecedência devo chegar?

Nos sites da Prefeitura, do Parque e do próprio Planetário é solicitada antecedência de 30 minutos para retirada de senhas. Desista, não funciona. Na verdade a retirada das senhas ocorre no momento da abertura da porta de entrada, que acontece 30 minutos antes do início da sessão. O público, adultos e crianças, chegam ao local muito antes e aguardam sentados no chão para ter chance de entrar. Se você aparecer por lá apenas meia hora antes da sessão seguramente não conseguirá entrar e terá que aguardar a apresentação seguinte, em pé ou no chão.

Vale o que está no site parqueprefeitura.org , lá no item 9 de como funcionava antigamente. Comparecer ao local com 1 hora e 15 minutos de antecedência. Tomei essa conduta e para a sessão das15 horas de um dia de semana já havia mais de 100 pessoas aguardando quando cheguei.

Ainda sobre a fila, cabe dizer que idosos e crianças menores de dois anos (não indico) têm uma bilheteria prioritária, que fica do lado oposto da bilheteria geral. De qualquer forma corra porque a porta é uma só e entra um de cada vez. Cada idoso tem direito a um acompanhante na prioridade.

5. O ingresso é gratuito para todos.

6. Enquanto aguarda o início da sessão

Dentro do Planetário você terá então 30 minutos para admirá-lo. É pouco. Deixe para o horário de saída. No piso da entrada há uma pequena mostra de meteoritos, com destaque para o meteorito Santa Luzia descoberto no Brasil no ano de 1921. Durante a apresentação do Planetário ele é citado com destaque. E aqui vai mais uma dica: a voz do locutor informa que o meteorito se encontra na Escola de Astrofísica, mas ele foi trazido para ser exposto no Planetário. Seu peso de 22 kg deve ter sido o responsável pela única parte de madeira arranhada no móvel onde se encontra.

7. Vamos entrar e escolher um lugar para sentar?

Duas portas estavam abertas para entrar na sala de projeção, após passar pela entrada do Planetário. Todos os 320 assentos (e não 300) são poltronas especiais que permitem plena observação da projeção, que ocorre na abóbada.

Alguns detalhes, contudo, posso informar. Os assentos que ficam mais à frente, perto do projetor, são mais inclinados e os de trás, perto das portas, possuem menor inclinação. Fica ao seu gosto o que lhe dará maior conforto. Na prática há pouca diferença.

A projeção como um todo pode ser vista de qualquer localização de seu assento, porém em raros momentos há uma direção. O sol se põe e nasce obviamente em locais diferentes e é possível que o projetor esteja tampando sua visão especialmente se estiver sentado na frente.

No início há uma animação explicativa com a projeção de um robô simbolizando o projetor planetário (novamente não se esqueça que é o nome desse tipo de equipamento). Se quiser ver a animação de frente escolha para sentar-se em frente ao balcão de projeção que é facilmente identificável ou em seu lado oposto, onde fica a parte anterior do projetor com todas as letras que o identificam voltadas para você.

8. A monitoria é exemplar.

Os solícitos monitores caminham pela sala dando instruções e avisam em seus microfones sobre todos os próximos passos, inclusive com uma contagem regressiva para o início da sessão. Também podem ser questionados após o término para esclarecimento de dúvidas (nem sempre esclarecidas).

9. O que é proibido

É proibido comer na sala. Fotos são permitidas até o início da projeção. Desligue o celular ou guarde-o no modo silencioso. Não tente fotografar a projeção, primeiro porque a sala é completamente escura e atrapalhará os demais e também porque não conseguirá imagens adequadas. Há supervisão quanto a isso.

10. Duração

A duração da projeção é de 40 minutos. Atente que as portas apenas abrem para fora e isso quer dizer que se sair não poderá mais entrar, mas que será acompanhado para sair durante a projeção se necessitar. Programe todas as suas necessidades antes. Também não é possível entrar atrasado, pois qualquer claridade comprometerá a visibilidade e as sessões são pontuais.

11. Além da projeção

Agora que você já aproveitou a emocionante apresentação (não vou contar nada) pode admirar o meteorito Santa Luzia e subir a ampla escadaria que o levará ao mezanino localizado no pavimento superior à sala de projeção. Embora o mezanino esteja destinado a futuras exposições você terá uma bela vista do parque através de suas janelas e poderá admirar o revestimento de madeira aparente que envolve a cúpula de concreto e está novinho. Não deixe de subir.

Há um elevador panorâmico para auxiliar pessoas com limitação de locomoção, mas não parece estar em funcionamento ainda.

12. Por fim você deve saber que está planejada mudança na programação a cada três meses, então poderá consultar antes de ir. No momento, mas não unicamente, o destaque é para o estrelado céu de verão da cidade de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *