Herma de Garibaldi

No Parque da Luz, o parque público mais antigo de São Paulo, existe uma estátua com muito simbolismo chamada herma de Garibaldi. A herma de Garibaldi foi inaugurada por Olavo Bilac no ano de 1910, época em que o Parque/Jardim da Luz era uma referencia de lazer para a aristocracia paulistana e também o local de chegada dos muitos imigrantes que vinham em busca de trabalho e prosperidade.
Trabalhadores de muitas nacionalidades chegavam naquela época pela estrada de ferro que se localizava na área do próprio parque, porém os italianos vinham em maior número.

Criação da herma de Garibaldi: homenagem da colônia italiana a Giuseppe Garibaldi

No início do século XX Giuseppe Garibaldi era uma personalidade extremamente reverenciada e respeitada principalmente pela colônia italiana, por sua atuação heroica pela libertação da Itália contra a tirania do domínio de estrangeiros.
Giuseppe Garibaldi foi um marinheiro e militar revolucionário italiano que integrou ativamente o movimento nacionalista “Jovem Itália” que pretendia a unificação de toda a península italiana sob a forma de república. Veio exilado para o Brasil aos 26 anos de idade por ser ameaçado de morte em seu país, chegando ao Rio de Janeiro onde já se encontravam outros exilados.
Logo seguiu para o Rio Grande do Sul onde participou da batalha contra tropas imperiais durante a Revolução Farroupilha, ou Guerra dos Farrapos. Lutou também na guerra entre a Argentina e o Uruguai.
Em 1848 Garibaldi voltou à Itália empreendendo uma série de lutas e ações militares com a finalidade de unificá-la, libertá-la dos estrangeiros e de promover Roma à sua capital. Sua trajetória contou com novo exílio seguido por nova guerra na Itália pelos mesmos ideais.
Devido à participação ativa como guerrilheiro idealista em vários movimentos armados na Europa e na América do Sul, ficou conhecido como “herói de dois mundos”.

A criação do monumento em sua homenagem partiu da solicitação de entidades formadas por imigrantes italianos em São Paulo e coube a Icilio Forelli, promotor da comemoração do Centenário de Garibaldi, em 1907, encomendar a execução da obra ao escultor Emilio Gallori. A herma de Garibaldi foi criada na Fundição Bastianelli de Roma e trazida de Roma a São Paulo pelo próprio autor.

Características da herma de Garibaldi

Autor: Emilio Gallori
Material: bronze
Dimensões: 1,43m x 1,28m x 1,06m
Pedestal: granito(4,37m x 3,60m x 3,60m)
Natureza: Herma. É um busto caracterizado por ser cortado em planos verticais à altura dos ombros, peito e costas, erguido sobre um pedestal prismático e alto ou sobre uma hermeta.

Inscrição na face frontal do pedestal:
“A
GIUSEPPE GARIBALDI
BRACCIO EROICO
PER LA LIBERTA’ DEI POPOLI
CUORE MAGNANIMO
PEROGNI PIU’ UMANA ASPIRAZIONE
DI
SOCIALE GIUSTIZIA
1O MAGGIO 1910”

Autor da inscrição: Emilio Gallori
Tradução: Braço heróico pela liberdade dos povos, coração magnânimo por cada mais humana aspiração de justiça social.
10 de maio de 1910

Inscrição na face lateral do pedestal: “A Mazzini la democrazia paulista” 1922. Foi fundador da associação política “Jovem Itália”.

Restauração: ano 2000

Detalhe: O autor executou a obra gratuitamente.

A festa de inauguração

A inauguração da herma de Garibaldi no chamado na época “Jardim Público” em meio a um belo ajardinamento coordenado pelo administrador do parque Antônio Etzel ocorreu no dia primeiro de maio de 1910 com muita festividade, bandas musicais e um número de público que superou o aguardado. Pessoas, principalmente italianos, vieram de outras cidades especialmente para a inauguração.
Os custos do evento foram cobertos pela organização de festas e espetáculos de benefícios e pela colaboração de associações como o Clube Espéria.

Detalhe que para a instalação da herma de Garibaldi no “Jardim Público”, o Parque da Luz, foi necessário a aprovação do mérito artístico por uma comissão de peritos, que foi acompanhada de perto por Emilio Gallori.
A comissão que entregou o parecer positivo à Câmara Municipal foi integrada por Francisco de Paula Ramos de Azevedo, Jorge Krug e Amadeu Zani.

A obra foi considerada na época como a única arte escultórica de São Paulo.

O Departamento de Patrimônio Histórico da Prefeitura de São Paulo assim relata a inauguração: “Às 13 horas, centenas de pessoas partiram da Praça da República em direção ao Jardim da Luz, portando bandeiras e estandartes. Cerca de 4.000 pessoas, membros de associações de imigrantes, vieram do interior de São Paulo para acompanhar o evento. Quando o cortejo chegou ao jardim, às 15 horas, mais de 10.000 pessoas os aguardavam. Houve falatório e confusão. O Vice-Prefeito em exercício, Conde Asdrúbal do Nascimento, compareceu ao evento. Olavo Bilac também esteve presente e leu um discurso inaugural”.
Emilio Gallori já estava em Roma, mas recebeu em sua cidade um telegrama da parte dos organizadores relatando o evento.

Outro detalhe é que todos os anos famílias italianas passaram a celebrar efusivamente sua data nacional, 20 de setembro, junto à herma de Garibaldi no Jardim da Luz, com bandas de música, cortejos, desfiles de escolares, discursos e deposição de flores.

A herma de Garibaldi, originalmente instalada em meio a belo ajardinamento, hoje está conservada e ainda cercada por vegetação. Em meio às mais de 50 obras de arte que atualmente existem no Parque da Luz a escultura passa desapercebida em sua história e originalidade porém sua existência não permite esquecer a participação fundamental dos imigrantes italianos na vida e progresso de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *