È NATO JESÙ: presépios napolitanos embelezam o Museu de Arte Sacra de São Paulo

O já tradicional Presépio Napolitano de 1.620 peças do Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS-SP é acompanhado em 2018 pelo trabalho do presepista italiano Ulderico Pinfildi na exposição “È Nato Jesù”.
Para os cristãos a data mais significativa do ano é o dia de Natal, que celebra o nascimento de Jesus, filho de Deus. Esse evento faz-se representar tradicionalmente pela confecção de presépios dos mais variados formatos e materiais, porém com personagens em comum a todos eles.
“È Nato Gesù” apresenta a minuciosa arte de Ulderico Pinfildi, especializado em figuras de presépios, chamados pastores, por meio de peças que compõem os personagens em cenas dos presépios natalinos napolitanos. Ulderico Pinfildi iniciou sua experiência no ateliê de cerâmica de seu pai e aprofundou-se nos estudos de anatomia, primeiramente a do rosto, depois a do corpo inteiro, que lhe permitiu realizar figuras inteiras que depois eram complementadas com trajes os mais típicos e detalhados.

Na mostra são apresentadas peças originais que representam as principais cenas do presépio napolitano, recordando que esses presépios foram criados no século XVIII. O percurso pelas peças tem início com o “Anúncio à Nossa Senhora (Annuncio Alla Madonna)”, seguido pelo “Anúncio aos Pastores (Annuncio Al Pastori)”. Seguindo pelo corredor do lado esquerdo do museu estão representações de várias etnias, atividades e procedências sociais, fundamentais nesse tipo de presépio uma vez que Nápoles é uma cidade portuária que recebia a todo o tipo de comerciante ou viajante.
Dentre as figuras constam “Tarantela”. “Grupo de Calabreses”, “Pastores com presentes e ofícios”, “Grupo de pessoas vindas da ilha de Prócida”, “Os Reis Magos a cavalo”, “Músicos orientais”, “Grupo de família com jumenta”, “Mouros nobres”, “Pastores a caminho”. Em sala separada está o auge da mostra: “Anjos” e “Natividade”, onde os grupos de anjos possuem dimensões crescentes a partir do alto da obra, fornecendo uma perspectiva celestial.

Na entrada da exposição é exibido ainda um vídeo que trata das várias fases de realização das peças de Pinfildi, contextualizando personagens e origens e relatado pelo próprio artista. O vídeo apresenta as técnicas operacionais dos artesãos do século XVIII. Cada uma das figuras do presépio nasce da composição dos elementos anatômicos principais, aqueles ligados ao movimento e às expressões dos “pastores”, no caso, membros e cabeça. As figuras são confeccionadas em diversos materiais, sendo que, basicamente, a cabeça do pastor é feita de terracota, os olhos são de vidro pintado e se aplicam com estuques, e mãos e pés são de madeira. Para pintá-los usam-se pigmentos e cores que se referem a esses diferentes materiais. Antigamente utilizavam-se os óleos, ou outros tipos de pigmentos com cola. Atualmente o artista utiliza acrílico. Depois vem o boneco, feito de fios de ferro e estopa (ou cânhamo), que estabelece a forma, volume e movimento do personagem.
O vestuário dos personagens é colocado ao final, sendo de fundamental importância, uma vez que o presépio napolitano é único no seu gênero e desenvolveu-se nos tempos dos Bourbons, no Reino das Duas Sicílias. Por esse motivo, os trajes dos pastores são os trajes que eram realmente usados pelo povo do Reino nas várias áreas de Nápoles e redondezas da cidade. Nas figuras do artista, os trajes são confeccionados por meio das mesmas técnicas utilizadas antigamente, feitos à mão e com uso de sedas, passamanarias, além de fios e botões de prata e ouro.

Complementa a mostra “È Nato Gesù” um segundo presépio napolitano, este exibido em sala escura como uma projeção 3D em tamanho real do Presepe Cuciniello del Museo di San Martino, cujo original de dimensões gigantescas e considerado o mais completo presépio napolitano existente, serviu de inspiração ao trabalho e aprimoramento de Ulderico Pinfildi. O presépio é assim chamado pelo nome do doador, o comediógrafo, arquiteto e colecionador napolitano Michele Cuciniello que em 1879 deu ao museu sua coleção monumental de pastores e animais.Para quem observar: repare no conjunto, em alto-relevo horizontal, é formado por três cenas fundamentais: à esquerda, o Anúncio aos pastores, no centro, a Natividade com a Procissão dos Orientais seguindo os Magos e, à direita, a cena da Taberna.

Detalhe que, embora haja um telefone para agendamento de visitas monitoradas, há monitoras prestativas e bem informadas no espaço do Museu, o que facilita a resolução de qualquer dúvida relativa à exposição ou ao próprio Museu.
Agora que já sabemos um pouco sobre os encantadores presépios napolitanos, vamos ao Museu de Arte Sacra para conferir três imperdíveis versões deles.
– “Dal 1700: A Natividade de Ciciniello de San Martino”
– “Dal 2018: A Natividade de Ulderico Pinfildi, de Nápoles”
– “Presépio Napolitano” do anexo do Museu de Arte Sacra, num cenário que ocupa 110 metros quadrados. Exposição permanente e tradicional do presépio, que foi trazido ao Brasil e doado ao museu por Francisco Matarazzo Sobrinho (http://www.blogdate.com.br/museu-de-arte-sacra-de-sao-paulo-e-seus-presepios/).

Onde: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)
Tel.: 11 3326-5393 – agendamento / educativo para visitas monitoradas.
Horários: De terça-feira a domingo, das 9 às 17h | Presépio Napolitano permanete: das 10 às 11h, e das 14h às 15h
Ingresso: R$ 6,00 (Inteira). Grátis aos sábados Isenções: crianças de até 7 anos, adultos a partir de 60, professores da rede pública, pessoas com deficiência, membros do ICOM, policiais e militares – mediante comprovação.
Encerramento: 06 de janeiro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *