Dez meses após sua partida Tomie Ohtake revive em nova obra na Avenida Paulista

Dez meses após o falecimento, aos 101 anos de idade, da artista plástica nipo-brasileira Tomie Ohtake, uma das artistas símbolo de São Paulo, nova escultura é inaugurada na Avenida Paulista.

Como em tudo há uma história, com essa obra não poderia ser diferente. O texto foi obtido de reportagens e entrevistas com seu filho Ricardo Ohtake, que acompanhou a fixação da escultura e o arquiteto Jorge Utsunomiya, que trabalhou com a artista nos últimos 30 anos.

Detalho aqui que nem sempre as informações são idênticas, tais como o tamanho oficial da obra ou o tempo que levou para ser concluída. Não há ainda registro dela no site do Instituto Tomie Ohtake, que também não respondeu à minha solicitação, por telefone e correio eletrônico, sobre a existência de um possível nome para a obra. É, contudo, reportado que Tomie Ohtake “não gostava de explicar as esculturas que fazia, mas gostava de ouvir o que as pessoas comentavam sobre elas”.

Tomie Ohtake trabalhava nessa escultura, já projetada para ser instalada na Avenida Paulista, embora sem localização definida, quando ocorreu seu falecimento. Era um sonho seu ter uma obra nesse local tão simbólico e vital para a cidade de São Paulo.

Tomie projetou a obra a partir de um modelo de 40 (ou 20?) cm, embora não tenha conseguido vê-la finalizada. Durante quatro meses de trabalho árduo sua criação ocorreu num armazém onde eram produzidas carrocerias de caminhões. Após a programação de engenharia, chapas de aço foram cortadas, moldadas e pintadas com tinta especial, também utilizada em navios.

Por fim a escultura estava pronta, vermelha e prateada, com 7 toneladas e 8,5 metros de altura, sendo inaugurada no dia 15 de dezembro de 2015, uma terça-feira após referidas duas horas de instalação. Mais uma majestosa companhia para a Avenida que embelezou não só o ponto onde foi instalada, mas todo o seu entorno, realçando-o.

Resultado de um projeto desenvolvido por Tomie em parceria com a Associação Paulista Viva, que se interessou pelo projeto, a obra teve patrocínio do Citibank, que comemora 100 anos no País. O local definido foi na altura do número 1.111 da Avenida Paulista, entre as alamedas Pamplona e Campinas, no sentido Paraíso, no canteiro em frente à sede do Citibank, escolhido para não obstruir a passagem de pedestres e outros elementos de sinalização urbana.

À noite a escultura é ainda mais bonita.

Esperamos sinceramente que essa instalação urbana, clássica desde seu primeiro momento, seja respeitada e protegida indefinidamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *