Colhedor de Café: escultura de Lecy Beltran

Instalada no canteiro central da Avenida Nove de Julho na zona sul de São Paulo na altura do número 5485 está a escultura Colhedor de Café. De autoria de Lecy Beltran, o Colhedor de Café presta homenagem ao trabalhador das antigas plantações de café na região.

A atividade cafeicultora foi o fator que levou a capital paulista ao patamar de metrópole global que é hoje, consolidando-se como base da economia do país nos meados do século XIX e primeiras décadas do XX. O ciclo do café, dentre outras repercussões, atraiu imigrantes principalmente da Europa e impulsionou a ampliação das vias férreas e portos, transformando os hábitos brasileiros.
Toda a história do progresso e riqueza trazidos pelo café, o assim chamado “ouro negro”, não teria acontecido sem a participação dos trabalhadores agrícolas das lavouras de café, que cultivavam, colhiam e secavam os grãos, representados na escultura por um Colhedor de Café.

A mão de obra das lavouras foi inicialmente constituída pelos escravos procedentes do nordeste e depois pela mão de obra nacional livre. Seguiram-se milhares de imigrantes europeus em busca de uma nova vida de oportunidades. No caso das terras paulistas predominaram os imigrantes italianos até o início do século XX quando, já na República, começou a imigração de japoneses.
Essa trajetória de implementação e dominação do café no estado e na capital paulista durou até por volta de 1930, entretanto até hoje o grão é prestigiado e consumido em todo o país.
É devido à influência que o café exerceu sobre o progresso de muitas cidades bem como da sociedade como um todo e que ainda exerce nas inovações de seu consumo que o grão é homenageado em diversas obras de arte, arquitetura e decoração.

Dentre as obras públicas da cidade de São Paulo citarei a “Homenagem ao Cafeeiro” instalada no Parque do Ibirapuera e representados por um pé de café. No monumento Colhedor de Café é destacado o ser humano que com seu esforço permitiu que o café fosse produzido nas lavouras com sucesso.

Dados técnicos do Colhedor de Café

O monumento é composto por uma peça construída em bronze que representa um trabalhador do cultivo do café com um de seus instrumentos de trabalho, a peneira.

A peneira, mediante o abano manual, era utilizada na pré-limpeza do café ainda no campo. Sua técnica de agitação servia, e ainda serve para a separação dos grãos com retirada das impurezas como galhos, folhagens e pedras. Na obra nota-se nitidamente um aglomerado de grãos de café e à parte algumas folhas a serem descartadas após o abano da peneira.
Apesar de ser uma obra recente, do ano de 2000, não são vastas as informações sobre ela.

Nota-se que o colhedor de café possui feições caucasianas e de corpo musculoso. Tem um lenço atado ao pescoço e usa calça de pernas compridas com bolsos e camiseta tipo regata. As panturrilhas são extremamente musculosas como se a obra quisesse mostrar o esforço a que as pernas eram submetidas. As mãos e os pés são desproporcionalmente grandes, sendo que os pés são ainda maiores e de aspecto mais forte. Esse movimento da obra parece apontar que o trabalhador, de corpo relativamente esguio, necessitava de grande esforço dos membros para realizar seu trabalho agrícola.

Outro detalhe da obra está novamente nos pés do colhedor que tem entre eles um ramo de café com grãos. Difícil de ser visto pela altura do personagem, o galho complementa a peneira mostrando os grãos de café colhidos.

A escultura possui uma base em alvenaria de tijolos e granito, onde está inscrito seu título. A Identificação da autora está no boldo esquerdo do colhedor, onde se lê “Lecy”.

Como que pertencendo ao monumento estão plantados dois pés de café, um de cada lado do colhedor de café, muito vivos e que produzem grãos todos os anos.

O Colhedor de Café, situado numa avenida movimentada da cidade de São Paulo, tem como fundo o contraste da cidade moderna e urbanizada, com altos prédios e até um conhecido colégio. Essa força de trabalho transformou a cidade de São Paulo e nada melhor do que a imagem do agricultor para recordar o motivo do grande progresso.

A escultura é pouco conhecida, porém chama a atenção seu sempre bom estado de conservação.

Sobre a autora

Nascida em uma família italiana Lecy Beltran iniciou sua carreira desenhando e pintando. Mais tarde Lecy começou a estudar no ateliê de Dante Dado de Giacomi, quando então desenvolveu e passou a dedicar-se totalmente ao ofício de escultora.

A temática de suas obras é diversificada, porém é relatados que sua preferência temática é a inspirada em personagens brasileiros.

O Colhedor de Café foi doado à cidade de São Paulo pela artista plástica Lecy Beltran no ano 2000 e instalado inicialmente na Praça Luís Carlos Paraná, bairro do Itaim Bibi também na zona sul da cidade. Da mesma forma que outros monumentos da cidade, este também é considerado um monumento nômade. A escultura Colhedor de Café foi doada pela autora a São Paulo sendo inicialmente instalada na Praça Luís Carlos Paraná no ano 2000. Em 2003 foi transferida para o atual endereço na Avenida Nove de Julho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *