Casa da Bóia e o Selo Valor Cultural de São Paulo

A Casa da Bóia, fundada em 1898, foi a primeira loja de ferragens e hidráulica de São Paulo. Seu fundador, Rizkallah Jorge Tahan, um imigrante sírio da cidade de Alepo, trabalhou inicialmente na confecção de peças de cobre até fundar após três anos de sua chegada a “Rizkallah Jorge e Companhia”, primeira metalúrgica de São Paulo.

Grande incentivo foi dado ao uso de bóias em caixas d’água quando ocorreu no país um surto de febre amarela na passagem do século XIX para o XX devido às precárias condições de saneamento público que imperavam. Era o governo de Rodrigues Alves que incentivava a melhoria das condições de higiene e limpeza da cidade na tentativa de erradicar a doença que havia inclusive causado o falecimento de uma filha sua. Rizkallah Jorge motivou-se a produzir materiais sanitários e é claro, mais bóias que controlariam a entrada de água das caixas, o que rendeu o nome à empresa de Casa da Bóia.

Atualmente, segundo consta em seu próprio site, a Casa da Bóia é especializada nos ramos de hidráulica, elétrica, objetos de decoração e utilidades domésticas e reconhecida como a principal loja e distribuidora de metais não ferrosos e materiais hidráulicos de São Paulo.

O prédio, na verdade um imponente sobrado onde está instalada a Casa da Bóia nunca saiu do mesmo endereço e ainda é gerenciada por descentes da família, atualmente por um neto.

Na época de Rizkallah Jorge era comum a família possuir um comércio no piso térreo e habitar o andar superior e assim foi com a Casa até 1930, quando os Rizkallah se mudaram para um casarão na Avenida Paulista.

A Casa da Bóia, cuja fachada é tombada pelo Patrimônio Histórico desde 1992, foi construída por profissionais italianos sendo referência no estilo Art Nouveau. A fachada é rica em detalhes decorativos como arabescos, figuras humanas, entalhes ornamentais, colunas, sacadas com grades de ferro trabalhadas e muitos contornos sinuosos. Outro detalhe é a presença das iniciais do seu fundador, “RJ” nos vidros jateados das portas com sacadas do primeiro pavimento.

No interior da loja ainda estão balcões de atendimento e materiais hidráulicos originais, e maquinário que era utilizado na época de fabricação dos produtos no local.

O prédio cuja construção foi concluída em 1909 passou por duas restaurações da fachada e cômodos, em 1998 e 2014, tendo preservado cores e características originais da fachada e ornamentos decorativos do interior.

Outro detalhe: a Casa da Bóia é uma das poucas empresas que ultrapassaram 100 anos de existência em atividade e foi homenageada pela Associação Comercial de São Paulo em 2014 como uma das mais antigas filiadas.

Outro motivo para você conhecer a Casa da Bóia é o seu museu localizado na sobreloja do edifício e que foi inaugurado em 1998 por ocasião do centenário das atividades. O que ocorre é que ele está fechado para reformas, mas no site da Casa constam ainda as dicas para visitação com o telefone da loja para agendamento. Por hora o museu conta com três salas originais com valiosos documentos, ferramentas antigas e peças fabricadas no início do século XX. A informação é de que será reaberto em 2017 e prometemos informar e contar os detalhes quando isso ocorrer.

Por toda a tradição de atividade, conservação e referência de identidade com a cultura paulistana esse foi um dos estabelecimentos escolhidos após longa seleção pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São PauloCONPRESP, para receber o “SELO DE VALOR CULTURAL DA CIDADE DE SÃO PAULO”, entregue pela primeira vez em 23 de agosto de 2016.

O selo foi instituído em 08 de dezembro de 2015 “como um instrumento de preservação cultural, o qual classifica um local de reconhecido valor de referência comercial, residencial, cultural, institucional, arquitetônico, gastronômico, entre outras atividades, ou um local de referência como expressão da identidade cultural e social de grupos de indivíduos” e poderá ser renovado cada cinco anos.

Símbolo dos primórdios da industrialização de São Paulo e das construções com ares de cidade grande do início do século XX a Casa da Bóia segue sendo testemunha e participante do progresso da cidade e merecedora do selo que a identifica como espaço de valor cultural digno de ser preservado afetivamente na memória da população de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *